Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 28/11/2018 12/11/2018 25/10/2018 11/10/2018 26/09/2018
Galeria de Fotos  

Homenagem a Luis Fernando

Evento lotou auditório nobre do Sindsprev/RJ no dia 11/10. Luis Fernando, presente!
Anterior 10 foto(s) Próxima
- Foto: Fernando de França

Homenagem a Luis Fernando emociona e reafirma exemplo de luta que ele deixou

15/10/2018


Homenagem a Luis Fernando Carvalho lotou auditório do Sindsprev/RJ, no último dia 11/10
Foto: Fernando França

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por André Pelliccione

“A luta do meu pai foi muito importante porque fez que eu me reconhecesse como mulher negra e da classe operária. Onde ele estiver, sei que a luta continua e digo que é muito bom vocês estarem aqui”. Sob forte emoção e uma verdadeira chuva de aplausos, foi assim que Ruti, uma das filhas de Luis Fernando Carvalho, resumiu o sentimento das centenas de pessoas que, no último dia 11/10, lotaram o auditório nobre do Sindsprev/RJ para homenageá-lo.

Falecido no último dia 9/9, vítima de um acidente vascular cerebral (AVC), Luis Fernando foi um dos fundadores do Sindsprev/RJ e integrou gestões passadas do sindicato. Também foi militante e dirigente do PSTU e da CSP (Central Sindical e Popular) Conlutas. Sociólogo do INSS lotado no Centro de Reabilitação Profissional da autarquia, em Duque de Caxias, Luís Fernando participou das maiores e mais importantes lutas, greves e mobilizações da seguridade e do seguro social realizadas nos últimos 30 anos, com destaque para a conquista do PCCS, em 2003, e para a greve que conquistou a incorporação da GDASS, em 2015.

A homenagem foi aberta com a exibição de um pequeno documentário sobre a história de lutas de Luis Fernando, incluindo depoimentos de colegas de trabalho e de militância.

‘Um lutador sem igual’, diz Cyro Garcia

Falando em nome do PSTU, partido ao qual Luis Fernando era filiado e onde militou desde os tempos da extinta Convergência Socialista (CS), Cyro Garcia fez a primeira das falas. “Luis Fernando era um lutador sem igual, um militante completo. Pessoas como ele vêm e deixam raízes, fixando-se em nossas mentes e corações. Luis era uma referência de luta contra a exploração da classe trabalhadora e com certeza vai fazer muita falta, sobretudo neste momento de ódio”, frisou.

Também colega de militância, o servidor Alexander Brasil Ceci, do judiciário estadual, deu seu depoimento, contando parte da trajetória de Luis Fernando na CS, em 1988, e na fundação do Sindsprev/RJ, em 1989. “Ele foi um militante que participou não apenas da fundação do Sindsprev/RJ, mas que também atuou no Movimento Negro Unificado (MNU) e na fundação da própria Conlutas. Queríamos que ele estivesse aqui. Mesmo não sendo mais possível, sabemos que a energia dele estará presente”, completou, também sob aplausos.

Solidariedade e companheirismo

Ex-dirigente do Sindsprev/RJ, membro do PCdoB e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), a servidora Maria Celina de Oliveira lembrou o companheirismo e a solidariedade de Luis Fernando. “Em todas as lutas e mobilizações de que participamos, o Luis Fernando sempre se preocupou com a segurança dos militantes diante das brutais repressões policiais. Ele também era fraterno em suas posições políticas. Fazia oposição, nos criticava com firmeza, mas era verdadeiro”, disse ela.

Professor da rede de educação do Distrito Federal e membro do PSTU, Renato Ferreira dos Santos veio ao Rio especialmente para participar da homenagem. “Eu militei com o Luis Fernando há cerca de 21 anos. O sentido desta homenagem é que o Luis Fernando vai perdurar pelo exemplo de militância que ele nos deu e que nos fortalece. Diante do possível fascismo que virá após as eleições, a militância terá que estar muito coesa. Voltarei a Brasília muito mais fortalecido”, destacou.

Em defesa da saúde e previdência

Servidor do extinto Ministério da Previdência Social (MPS), Edilson Busson Mariano lembrou a ativa participação de Luis Fernando na mobilização contra a derrubada do Hospital Central do Iaserj, ocorrida em 2012. “O que mais me comove é saber que o Luis Fernando acreditava realmente naquilo que ele defendia. Ele teve papel primordial naquelas mobilizações em defesa do Iaserj, um hospital que atendia 10 mil pacientes ao mês e que foi criminosamente demolido por ordem do então governador Sergio Cabral Filho (PMDB). Onde lutássemos em defesa da saúde e da previdência públicas, lá estava o Luis Fernando conosco”, disse, com os olhos marejados e tomado de forte emoção.

Também visivelmente emocionada, a servidora Maristela Farias, colega de partido, destacou as qualidades pessoais de Luis Fernando. “Ele era realmente firme na questão política, mas tinha generosidade e uma imensa solidariedade de classe. Eu tinha ainda muitas coisas a aprender com ele. Quero saudar os familiares aqui presentes, os amigos, dirigentes e funcionários do Sindsprev/RJ. Luis Fernando vai fazer muita falta. Ele era nosso ícone de luta”, afirmou. 

Colega de trabalho na Reabilitação Profissional do INSS de Caxias, a servidora Eurismar Silva Gomes (a Mazinha) destacou a contribuição de Luis Fernando nas lutas do setor. “A militância dele fez toda a diferença ali, onde tive o privilégio de acompanhá-lo em muitas lutas. Digo que a história dessas lutas lá em Caxias é dividida entre dois momentos: antes e depois da chegada do Luis”.

Militante e revolucionário

Para o metroviário Elias Alfredo, também militante do PSTU, Luis Fernando ‘cumpriu a missão de um verdadeiro revolucionário’. “Ser revolucionário como ele foi e não é coisa simples. Ele deixou um legado e uma prática de vida, de coerência para todos nós”, afirmou.

Representando a diretoria colegiada do Sindsprev/RJ, Osvaldo Mendes destacou o que considerava uma das maiores contribuições de Luis Fernando: a capacidade de politizar os debates em assembleias e plenárias dos servidores, analisando as possibilidades de cada conjuntura. “Ele sempre começava essas análises — disse Osvaldo — pela conjuntura internacional, localizando a situação brasileira a partir dali. Assim, conseguia fazer um grande debate com as demais forças políticas, de forma respeitosa, mas com fundamentação. Para mim o Luis Fernando era hors-concours. Luis Fernando, presente”.

Durante a homenagem foi lida carta com depoimento da servidora Marly Diniz, do INSS, que participou do Núcleo do Sindsprev/RJ na Reabilitação Profissional. No documento, Marly lembra a vitoriosa luta que conseguiu a interdição do antigo prédio do CRP, na rua do Riachuelo, por oferecer riscos aos segurados, e a transferência para novas instalações na Av. Pres. Vargas. Luta que teve decisiva participação de Luis Fernando. A servidora concluiu a carta com apelo à unidade dos trabalhadores na luta contra o fascismo.

A homenagem foi encerrada com a entrega de uma caixa de música aos familiares de Luis Fernando, com a melodia do Hino da Internacional Socialista, cantada por todo o auditório, de pé, em momento de grande congratulação.

Também estiveram presentes ao evento representantes de petroleiros, trabalhadores dos correios, bancários e trabalhadores da educação.

A homenagem a Luis Fernando foi organizada por PSTU e Conlutas, com apoio do Sindsprev/RJ.


Evento emocionou os que lembraram a histórica participação de Luis, um dos fundadores do Sindsprev/RJ
e referência de luta na seguridade e no seguro social

Foto: Fernando França


Cartaz de divulgação da homenagem realizada dia 11/10, no auditório do Sindsprev/RJ





Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec