Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Saúde Federal  

Cresce resistência ao sucateamento e privatização dos hospitais federais

17/08/2017

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por Olyntho Contente

 

Os servidores federais se organizam para unificar e fortalecer a luta contra o sucateamento dos hospitais federais do Rio de Janeiro que visa abrir ainda mais espaço para os planos de saúde e facilitar a entrega deste filé mignon da rede pública a grupos privados. Manifestações têm acontecido nas diversas unidades. Além disto, um grande ato unificado “Fica SUS, sai Barroso”, foi realizado na Cinelândia, no dia 3 de agosto, seguido de passeata até o prédio do Núcleo do Ministério da Saúde no Rio (Nerj), na Rua México, 128, Centro.

A mobilização foi organizada pela Frente em Defesa dos Hospitais Federais, formada por sindicatos, entre eles o Sindsprev/RJ, conselhos classistas e partidos de esquerda. A frente foi criada como forma de unificar a luta dos servidores dos hospitais federais e a ação das entidades sindicais do setor num movimento unitário de resistência ao projeto privatizante do governo Temer. O ato contou também com a participação de servidores da saúde estadual, de agentes comunitários de saúde e agentes de combate a endemias, ameaçados de demissão pelo prefeito Marcelo Crivella.

O diretor do Sindsprev/RJ, Sidney Castro, avaliou, durante o ato na Cinelândia, que a resposta contra o desmonte e a privatização da saúde pública tem que unificar os trabalhadores das três esferas, já que está sendo imposto por Temer, Pezão e Crivela. “O projeto é o mesmo, embora se encontrem em estágios diferentes. Por isto, temos que estar todos juntos”, defendeu. Segundo o dirigente a presença do Hospital Sírio-Libanês, contratado pelo Ministério da Saúde para fazer um levantamento nos hospitais da rede federal, confirma a suspeita de que se trata do início da implantação de um modelo de privatização, nos moldes do praticado em São Paulo, do qual participa o próprio Sírio-Libanês, por meio da organização social (OS) “Instituto de Responsabilidade Social“.

Atos dia 16 e 21 contra o desmonte

Em outra frente, a plenária nacional da Fenasps (Federação Nacional), em 5 de agosto, em Brasília, aprovou a realização de dois importantes atos, unificando todos os trabalhadores da saúde com os do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O primeiro, no dia 16 de agosto, um Dia Nacional Nacional de Luta em Defesa da Saúde e Previdência Públicas e Contra o Desmonte do Serviço Público, com manifestações nos estados e na capital federal, buscando construir um calendário comum de lutas com o Fórum Nacional dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe). O ato unificado do Rio foi agendado para a frente do Hospital Federal de Bonsucesso, às 10 horas.

Outras deliberações da plenária foram: realizar ato público nacional em 21 de agosto, com caravanas dos estados, em frente à sede do INSS em Brasília, cobrando o cumprimento da pauta específica dos servidores da autarquia; organizar seminário nacional para discutir as consequências da implementação do projeto INSS digital; e aumentar a participação da Fenasps na CNESF. O Sindsprev/RJ também enviará caravanas para este protesto.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec