Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 12/09/2017 06/09/2017 01/09/2017 30/08/2017 30/08/2017
Saúde Federal  

Emoção no Dias das Mães no Hospital dos Servidores

11/05/2018


Usuários fazem fila para receber fatia do bolo comemorativo do Dia das Mães
Foto: Fernando Gonçalves

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por Olyntho Contente

A emoção foi a marca da homenagem que o Sindsprev/RJ, a Associação de Amigos e a direção do Hospital Federal dos Servidores prestaram antecipadamente às mães de servidores, pacientes e familiares. O Dia das Mães é comemorado oficialmente no segundo domingo de maio. O diretor do Sindicato, Luiz Antônio Santos, lembrou que nada mais próprio que reunir servidores e usuários de um hospital, um lugar onde se salvam vidas, para homenagear aquelas que geram a vida.

O dirigente aproveitou para lembrar das dificuldades enfrentadas pelos profissionais de saúde, fruto da política deliberada do governo federal de suspender a realização de concursos para substituir servidores que se aposentam. “Hoje é também um dia de reflexão sobre a importância de se valorizar a vida, o que, infelizmente, não é feito por este governo. A direção do hospital e os demais profissionais se esforçam ao máximo para prestar um atendimento de qualidade. Mas, às vezes, não podem atender como desejam porque falta pessoal. Temos que denunciar esta falta de respeito para com a vida humana e exigir, todos, a imediata realização de concurso”, disse, ao microfone.

Programa Maio Violeta

O diretor do HFSE, Alexandre do Amaral, esteve presente com toda a sua assessoria, sendo, a direção da unidade, uma das organizadoras da festa. Em sua fala, em que parabenizou as mães, aproveitou para lembrar do lançamento do programa “Maio Violeta”, voltado para a maternidade do hospital, e que visa reduzir ao máximo, a mortalidade infantil.

A paciente Helena de Jesus, paciente do HFSE há 15 anos, gerou muita emoção ao dar seu testemunho sobre a unidade e seus profissionais. “Apesar das carências, o hospital e seus servidores prestam um atendimento atencioso e humano que não existe em nenhum outro lugar. O atendimento pode demorar? Pode. Mas é preciso paciência, sabendo que você será atendido aqui neste hospital que é referência nacional. Agradeço a todos eles e à direção. Sou uma mãe que procurou tratamento aqui e fui atendida e é aqui que me trato”, disse.

Outro diretor do Sindsprev/RJ, Mariano Busson Maia, denunciou a tentativa do governo Temer de despejar do prédio, no centro da cidade, os funcionários do Ministério do Trabalho. “É mais um ataque aos direitos dos trabalhadores que estão sendo jogados fora por este governo ilegítimo e golpista. Temos que resistir”, defendeu. O dirigente causou mais emoção ao cantar, logo depois de discursar, a música Nossa Senhora, de Roberto Carlos. Era possível ver muitos chorarem.

Mas para devolver o alto astral, antes de servir o bolo comemorativo do Dia das Mães, usuários e servidores foram presenteados com caixas de bombons. Ganhava o presente quem acertasse perguntas relativas ao HFSE, como há quantos anos existe, qual o seu telefone geral, entre outras. Vera Lúcia da Silva, mãe do paciente Marcos Vitor, por exemplo, acertou ao dizer que a unidade tem 70 anos.

Hospital pode atender a comunidade

Luiz Henrique aproveitou a presença do diretor para perguntar se era verdade que o hospital não atendia a comunidade do entorno. Alexandre explicou que não há atendimento de emergência há anos por decisão do Ministério da Saúde. E que, infelizmente, também por determinação de Brasília, mesmo o atendimento ambulatorial precisa ser feito através do Sisreg em unidades da clínica da família. Que nos casos de emergência, deve ser procurado uma unidade preparada para isto, como o Souza Aguiar, por exemplo.

Mas fez questão de ressaltar: “O que não significa que o Hospital dos Servidores deixará de atender quem nos procurar para um atendimento de urgência. Faremos o possível, mas de forma precária porque não este tipo de serviço. Nunca nos negaremos a atender”, frisou. Para Luiz Henrique, a suspensão do atendimento de emergência e o Sisreg são políticas desumanas do governo. “Este ano tem eleição. Por isto mesmo, temos que pensar bem antes de escolhermos o candidato em que vamos votar”, afirmou.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec