Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Saúde Estadual  

Na segunda (12/12), servidores do estado fazem grande protesto em frente à Alerj

08/12/2016

 

 

 

 

 

Não tem arrego: é hora de ampliar a luta contra canalhice do pacote de Pezão
Foto: Fernando França

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por Olyntho Contente

O próximo grande protesto dos servidores do estado vai acontecer na segunda-feira (12/12), às 10 horas, em frente à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Para esta data estão previstas votações de projetos que penalizam diretamente o funcionalismo público. A convocação está sendo feita pelas entidades que integram o Movimento Unificado dos Servidores do Estado (Muspe), como o Sindsprev/RJ. Entre os projetos a serem votados está o que desvia recursos dos fundos de previdência de vários setores para o pagamento dos servidores.

Os servidores do estado podem parar dias 14 e 15 deste mês pelo arquivamento do pacote genocida do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB). Este é o indicativo do Muspe a ser submetido aos diversos segmentos do funcionalismo estadual.  A informação foi dada pelo diretor da Associação de Bombeiros e membro do Muspe, Mesac Efrain, pouco antes de subir no caminhão de som, durante a manifestação desta terça-feira (6/12), na Alerj.

As datas foram escolhidas por ser nesses dias que o presidente da Alerj, Jorge Picciani (PMDB), pretende colocar em votação outros projetos e emendas constitucionais enviadas por Pezão. “Não vamos permitir a votação deste pacote. As medidas são cruéis e fazem com que os servidores e a população fluminense acabem pagando pelos desvios de recursos que os governadores Cabral e Pezão fizeram e sobre os quais a Assembleia Legislativa também tem responsabilidade. Vamos continuar mobilizados, fazendo grandes protestos e negociando soluções alternativas, mas, se nossa reivindicação de arquivamento ou devolução do pacote não for atendida, vamos parar o estado numa grande greve geral”, advertiu Mesac.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec