Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Saúde Estadual  

Servidores estaduais da Perícia Médica decidem aderir à greve

26/01/2017

Servidores na assembleia do Centro de Perícias Médicas do estado, sem salários, aprovam a greve
fotos: Mayara Alves

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por Hélcio Duarte Filho

Os servidores do Centro de Perícias Médicas e Saúde Ocupacional do Estado do Rio de Janeiro decidiram, em assembleia realizada na manhã desta quinta-feira (26), aderir ao movimento grevista do funcionalismo estadual. A greve começa na segunda-feira (30) e tem como principal motivo o atraso no pagamento dos salários da categoria.

A Superintendência do órgão e o secretário estadual de Saúde serão comunicados por ofício da decisão. Os servidores decidiram manter 30% do quadro trabalhando, por meio de revezamento. Uma comissão foi formada para avaliar as prioridades e os atendimentos que serão assegurados. Os servidores do interior devem ser comunicados para que não se desloquem desnecessariamente até a Perícia, que fica na Praça Tiradentes, na rua Silva Jardim 31, no Centro do Rio. 

Para o primeiro dia de paralisação, na segunda-feira (30), todos os profissionais do setor estão sendo convidados a se concentrar em frente ao prédio nas primeiras horas da manhã. Dirigentes do sindicato também vão participar da concentração que marcará o início da greve.

Além do atraso nos salários, os servidores exigem condições adequadas de trabalho – e reclamam de problemas que vêm se acumulando há meses sem solução. É o caso da falta de ar-condicionado e ventilação em boa parte das salas, e dos elevadores quebrados, o que obriga tanto quem é lotado ali quanto quem vai ao local para ser atendido a subir até cinco andares pela escada. Em algumas salas do prédio, as condições são muito precárias e os próprios servidores recorreram a ventiladores para tentar aliviar o calor.
 
A decisão de parar por tempo indeterminado foi tomada por ampla maioria da assembleia – houve apenas dois votos a favor não da greve, mas de uma paralisação por período determinado. "Estamos sendo massacrados", disse uma servidora ao defender a greve como reação legítima a tudo o que vem ocorrendo.

Assim como os demais servidores da Saúde, os trabalhadores da Perícia não haviam recebido nada referente ao salário de dezembro e ao 13º salário até a data da assembleia. Os que recebem mais que mil reais tiveram a última parcela do salário de novembro depositada apenas na semana anterior. "Não temos como trabalhar se não estamos recebendo nossos salários", observa Rose Paiva, servidora da Perícia e diretora do Sindsprev-RJ – outros sete diretores do sindicato compareceram à assembleia para apoiar os trabalhadores do setor. A assessoria Jurídica do Sindsprev-RJ também esteve na reunião.

 

 






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec