Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Saúde Estadual  

Superintendente tenta intimidar servidores em greve na Perícia Médica do Estado

31/01/2017

Da Redação do Sindsprev/RJ

Iniciada na última segunda-feira 30, a greve por tempo indeterminado dos servidores do Centro de Perícias Médicas e Saúde Ocupacional do Estado do Rio de Janeiro vem sendo duramente atacada pelo superintendente do órgão, Carlos Eduardo Merenlender, que logo no primeiro dia chamou uma viatura da Polícia Militar na tentativa de intimidar os trabalhadores.

Segundo denúncias dos servidores encaminhadas ao Sindsprev/RJ nesta terça-feira 31, Merenlender vem percorrendo os setores da Perícia Médica na tentativa de pressionar os servidores a recuarem da greve.

Em ofício enviado ao Sindsprev/RJ logo no primeiro dia da paralisação (segunda-feira 30), o Superintendente solicitou que o Sindicato lhe enviasse a lista dos servidores escalados para cumprir o número mínimo de efetivo exigido pela Lei de Greve, afirmando ‘não se responsabilizar por possíveis faltas lançadas aos servidores que se encontram amparados pela greve’. No documento, Merenlender diz que o efetivo mínimo seria de 70% de servidores, o que é algo absurdo, pois 70% de efetivo mínimo é o mesmo que não ter greve. Ou seja: o ofício do Superintendente é mais uma ameaça velada de quem sempre encarou as reivindicações dos trabalhadores como ‘caso de polícia’. Como nas ditaduras.

Mas a greve dos servidores da Perícia do Estado, que é por salários, condições de trabalho e dignidade, vai continuar por tempo indeterminado. Queria ou não queira o Sr. Merenlender.

 






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec