Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Saúde Estadual  

Saúde Estadual: Departamento apóia greve na perícia médica e propõe ato dia 13, no Ary Parreiras

08/02/2017

Departamento do Estado em reunião no Sindsprev/RJ: calendário de lutas e mobilizações
Foto: Mayara Alves

 

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por André Pelliccione

Realizada nesta quarta-feira 8, no Sindsprev/RJ, a reunião do Departamento da Saúde Estadual do sindicato avaliou como positiva a greve dos servidores da perícia médica do estado, que lutam pelo pagamento de salários atrasados e condições dignas de trabalho. A próxima reunião do Departamento da Saúde Estadual acontece dia 15/2, às 10h, no Sindsprev/RJ (rua Joaquim Silva, 98 – sobreloja). Compareça.

Outro assunto tratado na reunião desta quarta 8 foi o do calendário geral de lutas da saúde estadual, reforçando-se a convocação para que todos os servidores participem das mobilizações na Alerj contra o pacote de medidas do governo Pezão, que congelam reajustes salariais, suspendem concursos, aumentam a contribuição previdenciária do funcionalismo e privatizam a Cedae.

O Departamento definiu também um ato unificado da saúde estadual na próxima segunda-feira (13/2), a partir das 13h, em frente ao Instituto Ary Parreiras (Niterói), além da confecção de faixas, cartazes e materiais impressos para serem distribuídos durante as manifestações. Outros atos serão programados na rede estadual de saúde.

A reunião aprovou ainda uma moção de repúdio ao Superintendente da Perícia Médica, Carlos Eduardo Merenlender, que, segundo os servidores, vem pressionando-os a sair da greve, numa atitude ilegal e desrespeitosa. Leia a Moção clicando aqui.

Contra o assédio moral no trabalho

Da reunião participou um dos advogados do Sindsprev/RJ, Antônio Júnior, que tirou dúvidas dos servidores sobre empréstimos bancários não quitados por conta do atraso de salários e sobre transferências de setor. Segundo o advogado, no caso dos empréstimos contraídos pelos servidores junto a bancos, com o aval do estado, a responsabilidade pela dívida não paga será, em última instância, do estado, na medida em que o servidor está sem salário. Quanto às transferências de setor, foi explicado que qualquer transferência feita após a greve pode ser caracterizada como retaliação, sendo, portanto, ilegal e passível de anulação por via judicial.

No que se refere ao assédio moral praticado por gestores contra servidores, especialmente durante greves, o advogado explicou que é possível não só a denúncia, como a propositura de ações judiciais com base na Lei 3921, de agosto de 2002, que veda expressamente a prática de assédio moral no serviço público.

“A reunião foi muito boa porque marcou a reativação do Departamento da Saúde Estadual, por meio do qual vamos unificar as mobilizações e lutas da nossa categoria, cuja situação está cada vez mais precária. Esse é o caminho”, avaliou Rosimeri Paiva, da direção do Sindsprev/RJ.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec