Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Saúde Estadual  

Saúde estadual faz assembleia de mobilização no próximo dia 8/3

15/02/2017

Servidores da saúde estadual em manifestação na porta do Instituto Ary Parreiras, Niterói, contra atrasos de salários
Foto: Niko

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por André Pelliccione

Os servidores da Saúde Estadual do Rio fazem assembleia no próximo dia 8 de março, a partir das 14h, no Sindsprev/RJ (rua Joaquim Silva, 98 – térreo), quando vão definir um calendário de visitações às unidades de saúde, reforçar a participação da categoria nas mobilizações unificadas contra o pacote de medidas do governador Pezão (PMDB) e contra a privatização da Cedae. A assembleia também vai organizar a luta pela regularização do pagamento de salários, do décimo-terceiro e das férias em atraso. Compareça.

“Queremos que o Estado tenha um calendário fixo de pagamentos porque os servidores já não têm mais condição alguma de trabalhar devido aos constantes atrasos de salários. Também queremos condições dignas de trabalho nas unidades e a saída imediata de todas as ‘organizações sociais’ [O.S.] dos hospitais públicos do Estado”, explicou Rosimeri Paiva, da direção do Sindsprev/RJ.

Crise do Estado prejudica saúde pública

A crise geral do Estado do Rio tem tido um duro impacto para o serviço público, especialmente na saúde, onde são cada vez mais precárias as condições de atendimento à população e onde os gestores de algumas unidades vêm desrespeitando os direitos dos servidores. Na Perícia Médica do Estado, por exemplo, os servidores estão em greve há quase um mês contra as atitudes arbitrárias do Superintendente Carlos Eduardo Merenlender, que se recusa a abonar faltas de quem, devido ao atraso de pagamento, já não possui mais condições econômicas de se deslocar ao trabalho todos os dias.

Situação semelhante ocorre no Instituto Estadual de Doenças do Tórax Ary Parreiras (IETAP), em Niterói, onde os servidores protestaram, no dia 13, contra o atraso de salários, a precariedade das condições de trabalho na unidade e as atitudes arbitrárias da direção-geral.

No Sistema Estadual de Regulação, a situação dos servidores também é precária. Ali faltam protocolos específicos para definir quais funções devem ser exercidas pelos servidores lotados na regulação.

Dia 8/3 há motivos de sobra para participar da assembleia da saúde estadual.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec