Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Saúde Estadual  

Falta de material pode levar pacientes à morte no Carlos Chagas

09/05/2017

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por Olyntho Contente

Por falta total de recursos, o Hospital Carlos Chagas vive uma situação de calamidade. Pacientes – adultos, idosos e crianças – fazem o pós-operatório em enfermarias onde faltam seringas, material de limpeza, álcool, analgésicos e antibióticos, entre outros. Não há cloro para a limpeza dos banheiros, larvas começam a aparecer no depósito de roupa suja, não há lençóis limpos em quantidade para os leitos, nem aparelhos de ar-condicionado. No lugar, funcionam ventiladores. O risco de contaminação é grande.

O hospital vive numa situação de pane total. Nesta terça-feira (9/5), quando foram feitas 28 cirurgias, havia somente 10 seringas nas enfermarias. Com salários atrasados há meses, os servidores ainda têm que enfrentar a fome, a falta de dinheiro para chegar ao trabalho e, ainda assim, comprar papel toalha, água potável e material de limpeza. Não há bebedouro em muitas enfermarias. No entanto, os empregados da organização social e da fundação, que trabalham na unidade, recebem seus salários em dia.

O Sindsprev/RJ já se reuniu com o diretor do Carlos Chagas, João Fernandes, que se comprometeu a resolver a situação que, em março, já era crítica. Mas nada foi feito. Na segunda-feira, o sindicato fará novo ato público, às 10 horas, na porta do hospital, que fica em Marechal Hermes.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec