Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Geral  

Contra ‘reformas’ de Temer, servidores federais lançam campanha unificada dia 22

13/02/2017

Da Redação do Sindsprev-RJ
Por Hélcio Duarte Filho

O foco da campanha salarial unificada dos servidores públicos federais em 2017 será a luta contra as ‘reformas’ trabalhista e previdenciária.  O lançamento do movimento conjunto do funcionalismo foi marcado para o dia 22 de fevereiro, quando deve ser protocolada no Ministério do Planejamento, no Judiciário e no Legislativo, em Brasília, a pauta conjunta de reivindicações. Também está prevista a participação em atividades nos aeroportos do Distrito Federal e dos estados e no Congresso Nacional, com o objetivo de abordar deputados e senadores para expor as razões contrárias aos projetos.

Em torno de 50 entidades sindicais nacionais e estaduais, entre elas a Fenasps, participaram da reunião ampliada do Fonasefe, ocorrida no dia 9 de fevereiro, na capital federal, que debateu e definiu aspectos centrais da campanha de mobilização deste ano. O Fórum das Entidades Sindicais Nacionais dos Servidores Públicos Federais firmou posição favorável à luta pela rejeição integral da proposta de emenda constitucional que altera a Previdência Social no país (PEC 287/2016). Dentre as caracterizações, destaque para a avaliação de que é preciso uma luta unitária dos que estão contra essas ‘reformas’ para impedir que elas avancem no Congresso Nacional – e isso, avaliou-se, também passa pela convocação de uma greve geral que pare o país. 

Aspectos da pauta a ser apresentada ficaram de ser debatidos em nova reunião, marcada para o dia 21 de fevereiro. Entre eles, a definição sobre possível índice de reajuste linear a ser reivindicado. A ideia, de todo modo, é que as diversas categorias debatam a pauta nas suas bases e levem o resultado para a reunião nacional do funcionalismo. Para encaminhar as resoluções, propôs-se a formação de comissões do Fonasefe nos estados e nos municípios – ou fortalecimento delas aonde já existam.

Protestos

O Fórum dos Servidores aprovou a participação nas mobilizações e paralisações que já estão sendo convocadas por outras organizações da sociedade civil: 8 de março, Dia Internacional das Mulheres, e 15 de março, quando setores como a educação pública e os Correios preparam paralisações de 24 horas.

As tradicionais manifestações do Dia Internacional das Mulheres devem ganhar uma conotação de data simbólica de resistência à reforma da Previdência. Isso porque o texto enviado pelo presidente Michel Temer (PMDB) ao Legislativo traz conseqüências mais duras contra as mulheres.

A data, aliás, tende a ser marcada mundialmente por fortes protestos, decorrentes dos movimentos que estão convocando uma paralisação mundial das trabalhadoras para esse dia por conta de retrocessos nos direitos das mulheres e em oposição às políticas defendidas pelo novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

A reunião ampliada do Fonasefe sinalizou ainda a data da primeira marcha nacional do ano a Brasília contra a reforma da Previdência, apontada para o dia 28 de março, data em que o governo pretende aprovar a proposta em primeiro turno no Plenário da Câmara dos Deputados – algo que os servidores trabalham para impedir, junto com outras categorias de trabalhadores que começam a se mobilizar.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec