Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 22/06/6201 21/06/2017 14/06/2017 12/06/2017 07/06/2017
Geral  

Assembleia aprova participação na Greve Geral convocada para 28 de abril

13/04/2017

Da Redação do Sindsprev-RJ
Por Hélcio Duarte Filho

Servidores do seguro e da seguridade social decidiram, na assembleia realizada pelo Sindsprev-RJ na noite da quarta-feira (12), participar da greve geral convocada pelas centrais sindicais para o dia 28 de abril.

A mobilização para a data deve ser construída em cada segmento da categoria, em cada local de trabalho, ao longo das próximas duas semanas. Entre os servidores da sáude, do INSS, da Previdência Social, do Trabalho, enfim, em todos os segmentos da categoria. Boletim explicando os motivos da paralisação será produzido pelo sindicato e distribuído nas unidades.

Destacou-se muito na assembleia que o momento é gravíssimo e que todos devem participar e tomar para si a responsabilidade de construir a paralisação e uma forte mobilização contra a retirada de direitos. A assembleia também aprovou alterações estatutárias propostas pela direção do sindicato, que visam fazer adequações no estatuto.

O movimento contra as reformas da Previdência, Trabalhista e a lei que permite a terceirização de todos os postos de trabalho quer parar o país e exigir que o governo arquive tais proposta e reveja o que já aprovou.

Pela primeira vez em mais de 25 anos, uma greve geral está sendo convocada no Brasil pelas centrais sindicais, frentes políticas, movimentos sociais e sindicatos. O movimento se apoia na enorme impopularidade de tais projetos e do próprio governo de Michel Temer (PMDB), cuja legitimidade é questionada. O presidente tem o apoio de apenas um em cada dez brasileiros maiores de 16 anos, segundo pesquisa de opinião recém-divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Pressionado pela crescente rejeição a sua gestão e com um governo que agora tem quase um terço de seu ministério sob investigação do Supremo Tribunal Federal por denúncias de corrupção, Temer procura se agarrar na ampla base parlamentar que possui e no apoio de grandes setores empresariais. Para agradar a estes últimos, dá sinais de que tenta articular a aceleração da votação da reforma da Previdência na Câmara.

É na mobilização popular e sindical, porém, que se apoiam os movimentos contrários a projetos que eliminam boa parte das leis de proteção trabalhista que e tornam o acesso a benefícios previdenciários quase que inalcançáveis para a maioria da população trabalhadora.

A participação de cada servidor do seguro e da seguridade social reforçam essa luta, que é de todos e pode ser decisiva para as futuras e atuais gerações.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec