Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Geral  

Servidores do INSS e da saúde federal confirmam adesão à greve em assembleias locais

27/04/2017

Da Redação do Sindsprev-RJ
Por Hélcio Duarte Filho

Servidores de diversas agências da Previdência Social e da Saúde realizaram reuniões e assembleias locais nos últimos dias que reforçaram a decisão da categoria de parar por 24 horas nesta sexta-feira (28). A greve geral convocada pelas centrais sindicais é contra as reformas que podem levar ao que está sendo apontado como maior retrocesso em direitos trabalhistas e sociais da história do país.

A adesão à paralisação foi decidida em assembleia geral de todos os setores – reunindo servidores da saúde e do INSS – e em assembleia específica destes últimos. Mas ganhou mais força a partir dos debates realizados nos locais de trabalho e das votações que ratificaram a decisão.

Já haviam realizado assembleias que confirmaram a participação na greve as agências da Previdência Social de Friburgo, Teresópolis, Bom Jardim, Cabo Frio, Campos (Centro, Gerência, 13 de Maio), São Joaõ da Barra, Porciúncula, São Francisco de Itabapoana, Macaé, Natividade, Itaperuna, Nilo Peçanha, Copacabana (Raimundo Correia), Irajá, Araruama, Duque de Caxias, Magé, Piebetá, Jardim Primavera, Belford Roxo, Praça da Bandeira e administrativo de São João de Meriti, entre outras. O sindicato ressalta que a paralisação é de toda a categoria, inclusive dos locais que não tenham chegado a realizar assembleias.

Ponto na greve

A greve geral foi tema de pauta da reunião da Fenasps (Federação Nacional dos Trabalhadores da Saúde, Trabalho e Previdência Social) com a Diretoria de Gestão de Pessoas do INSS (DGP), ocorrida na segunda-feira, dia 24 de abril. O diretor da pasta, Thiago Vesely, disse aos representantes sindicais que a orientação da DGP para as gerências é que nas paralisações seja lançado o código de greve, sem efeito financeiro até que se conclua eventual negociação no Ministério do Planejamento. Isso vale tanto para a paralisação realizada em algumas regiões no dia 15 de março, quanto para a prevista para esta sexta-feira.

Atos nas ruas

Manifestações conjuntas estão previstas para acontecer ao longo de todo o dia. As principais estão programadas para o Centro do Rio – uma das concentrações será à tarde em frente à Assembleia Legislativa (Alerj). Mas o Sindsprev-RJ está convocando a categoria a se reunir, antes, na rua Pedro Lessa 36, na Gerência Executiva Centro, de onde os servidores devem se dirigir conjuntamente para a Alerj.

De lá, os manifestantes pretendem seguir em passeata até a Cinelândia, para um ato conjunto com atrações culturais, organizado pelas centrais sindicais. Antes, pela manhã, haverá ato público no Into e um café da manhã no Hospital Federal de Bonsucesso, entre outras atividades.






     Voltar

Ir para o topo |