Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Geral  

Hoje é o Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha

25/07/2017

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por Olyntho Contente*

Este 25 de julho, Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha será marcado por uma série de atividades. A Secretaria de Gênero, Raça e Etnia convoca a categoria a participar: às 9 horas, Seminário  Empoderamento da Mulher Negra, na OAB de São Gonçalo; 13 horas, atividade na Praça Zé Garoto, também em São Gonçalo, e às 18 horas, em Petrópolis.

Sem esquecer da Marcha das Mulheres Negras. Será no próximo dia 30, às 9 horas, no Posto 4, em Copacabana.

A Marcha

As mulheres negras do Rio de Janeiro têm história. E devem estar presentes, atuantes, lutando por seus direitos na III Marcha das Mulheres Negras do Estado do Rio de Janeiro, que irá acontecer no dia 30 de julho de 2017 a partir das 10 horas no Posto 4 em Copacabana.

Nesse dia estará sendo celebrado o Dia Internacional da Mulher Negra Latina Americana e Caribenha, cuja data é 25 de julho, e a conquista deste dia como data oficial no Estado do Rio de Janeiro. 

A data

O Dia da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha, marca a luta contra o preconceito, discriminação racial, racismo, lesbofobia, homofobia, transfobia, contra o genocídio da juventude negra, contra a implementação da reforma trabalhista, e a aprovação da reforma da previdência; por liberdade e respeito à tradições das religiões de matrizes africanas, reconhecimento das comunidades quilombolas, defesa da cultura afro-brasileira, e proteção da juventude negra contra todas as formas de violência. 
E ainda pelos direitos das mulheres negras à educação de qualidade, saúde com serviços adequados e com dignidade, convívio em comunidade em segurança, pleno acesso a ao mercado de trabalho, apoio ao empreendedorismo e às habilidades das mulheres negras, entre outros direitos essenciais à elas devidos. Uma data em que serão cobradas, ainda, melhorias nas políticas públicas para mulheres negras e celebrados, em 2018, os 30 anos do Primeiro Encontro Nacional de Mulheres Negras realizado, na cidade de Valença (RJ), em 1988.


*Com informações da Secretaria de Gênero, Raça e Etnia e da Marcha das Mulheres Negras do Rio de Janeiro





     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec