Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Geral  

Abraço ao HFSE defenderá o SUS e dirá não à ameaça de privatização dos hospitais federais

28/08/2017

Da Redação do Sindsprev-RJ

Por Hélcio Duarte Filho

 

Ato em defesa do SUS e contra a ameaça de desmonte e privatização dos hospitais da rede federal acontecerá na manhã desta terça-feira (29), no Hospital dos Servidores do Estado, próximo à Praça Mauá, a partir das 10 horas da manhã. A convocação da manifestação foi reforçada na Plenária Unificada de toda a Saúde Pública, ocorrida na noite desta segunda-feira (28), na sede do Sindsprev-RJ.

 

Dirigentes do sindicato participaram da reunião e destacaram a necessidade de construir uma grande unidade entre todos os servidores e trabalhadores da saúde pública e a população, para evitar o fim do Sistema Único de Saúde público e gratuito. Participaram da plenária representantes de sindicatos e de movimentos em defesa da saúde. A reunião buscou organizar a participação nos atos no dia 29 e 30 no Rio.

 

A manifestação no HFSE está sendo organizada pela Frente em Defesa dos Hospitais Federais do Rio e pelas entidades sindicais que participam do movimento, incluindo o Sindsprev-RJ. O ato ocorre na véspera de um dia de novos protestos no Rio em defesa dos serviços públicos e contra a retirada de direitos trabalhistas e sociais por meio das reformas e projetos dos governos Temer, Pezão e Crivella - assim como outras prefeituras do Estado do Rio. 

 

 

 As atividades programadas para os próximos dias são as seguintes:

Dia 29 de agosto (terça)

=Ato em defesa do SUS e contra o desmonte e a privatização dos hospitais federais do Rio: dia 29 de agosto, às 10h, no HFSE;

Dia 30 de agosto (quarta)

=7 horas: ato em frente à Uerj, no Maracanã;

=9 horas: ato em frente ao Instituto Nacional de Cardiologia, em Laranjeiras (‘O INC não é moeda de troca: 4 diretores em um ano e meio’);

=12 horas: ato na Escola Mendes de Moraes, na Ilha do Governador.

=13 horas: ato na Alerj – em defesa da saúde Estadual, contra o veto de Pezão ao PCCS

=14 horas: ato em frente ao Arquivo Nacional, na Praça da República, que está sob ameaça de fechamento: em defesa dos serviços públicos;

=16 horas: ato unificado com início da concentração a partir das 16 horas, na Candelária.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec