Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Geral  

Na quarta (2/10), ato no HFB protesta contra remoção de servidora

26/09/2019

 

Cartaz de divulgação do ato de protesto da próxima quarta-feira
Arte: Virginia Aor

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por André Pelliccione

O Sindsprev/RJ convida os servidores da saúde federal a participarem do ato de repúdio à arbitrária remoção de que está sendo vítima a servidora Tatiana Martins Alves, lotada na Emergência do Hospital Federal de Bonsucesso (HFB). Intitulada ‘Dia do Fico’, a  manifestação será realizada na próxima quarta-feira (2 de outubro), a partir das 10h, na entrada principal da Emergência do HFB. Além do Sindsprev/RJ, outras entidades e movimento estão organizando o protesto, como Fenasps (Federação Nacional), CNTSS, Sindicato dos Enfermeiros do Rio (Sindenf-RJ), INTOmobiliza, Fórum de Saúde do Rio de Janeiro, Frente em Defesa dos Hospitais e Institutos Federais e SintSaúde-RJ.
 
Tatiana Martins Alves foi removida no último dia 16/9, a pedido do Diretor de Programa do Ministério da Saúde, Marcelo Lamberti. Acatada quase que imediatamente pela direção-geral do Hospital de Bonsucesso, a arbitrária remoção de Tatiana foi reafirmada na última quarta-feira (25/9), por meio de despacho assinado por Marcelo Lamberti e pelo Superintendente Estadual do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro, Jonas Roza.

Na mesma quarta (25), o Sindsprev/RJ enviou ofício ao Núcleo Interno de Regulação, questionando a arbitrariedade da remoção de Tatiana. No documento, o sindicato lembra que a remoção da servidora não atendeu a dois elementos fundamentais que devem estar presentes em todo ato administrativo desse tipo: a demonstração da finalidade da remoção e a motivação do ato de remoção.  O Sindsprev/RJ questionou também a alegação utilizada pelo Ministério da Saúde para proceder à remoção: falta de pessoal em outra unidade. Como é de conhecimento geral, o próprio HFB é uma das unidades federais onde mais se necessita de recursos humanos. Por que então remover a servidora?

Objetivo da remoção é atacar direito de organização dos servidores

O verdadeiro objetivo da remoção é atacar o direito de organização de todos os trabalhadores da saúde federal. Tatiana e outros servidores participaram das mobilizações realizadas ao final de 2018 contra as arbitrariedades cometidas pela então gestora do Hospital de Bonsucesso, Luana Camargo, denunciando, junto com o Sindsprev/RJ e outras entidades sindicais, as precárias condições de funcionamento da unidade, onde faltam insumos e a emergência foi inaugurada em fevereiro de 2018 com apenas um terço do contingente de profissionais necessários ao seu pleno funcionamento, entre outros graves problemas.

Denúncias também foram feitas quanto às inconsistências das máquinas de ponto biométrico do Sisref (Sistema de Registro Eletrônico de Frequência), que tanto prejuízo vêm trazendo aos servidores em todas as unidades federais de saúde. A arbitrária remoção de Tatiana, portanto, é uma tentativa de intimidação.

O Sindsprev/RJ exige a imediata revogação da remoção de Tatiana Martins Alves. 






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec