Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 13/12/2018 05/12/2018 05/12/2018 04/12/2018 28/11/2018
Saúde Municipal  

Nesta quinta (25/10) tem plenária da saúde municipal no Sindsprev/RJ

24/10/2018


Servidores da saúde municipal durante protesto realizado em frente à Prefeitura, na última terça 23
Foto: colaboração

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por André Pelliccione

Nesta quinta-feira (25/10), a partir das 18h, no Sindsprev/RJ (rua Joaquim Silva, 98 – térreo), acontece a segunda plenária do movimento ‘Nenhum Serviço de Saúde a Menos’, que reúne sindicatos e conselhos profissionais na luta contra o sucateamento dos serviços de saúde do município do Rio. Na plenária anterior, realizada dia 17/10, no auditório do Sindsprev/RJ, foi feito um balanço das mobilizações realizadas até o momento contra os atrasos de salários e a redução de R$ 725 milhões do orçamento da saúde para 2019. A orientação geral da plenária foi no sentido de que cada categoria realize assembleias de base para definir a forma de participação, incluindo a decretação de greve. Em assembleia realizada esta semana, os enfermeiros já decidiram paralisar suas atividades.

Na manhã desta terça-feira 23, servidores da saúde municipal protestaram, em frente à Prefeitura do Rio, contra os atrasos de salários, que superam os três meses em algumas categorias. A prefeitura, no entanto, se negou a receber o comando de mobilização das categorias para negociar.

‘Situação é absurda’, diz servidora

“A situação é totalmente absurda. Além de constantes atrasos de salários em hospitais e clínicas da família, muitas unidades estão trabalhando com equipes mínimas, uma vez que o município já começou a demitir e quer novo corte nas equipes de profissionais da atenção básica. Crivella aplica a lógica de desresponsabilizar a prefeitura pelos serviços de saúde pública, prejudicando a população”, afirmou Cintia Teixeira, uma das coordenadoras do movimento e membro da CSP (Central Sindical e Popular) Conlutas.

As unidades de saúde onde estão acontecendo atrasos de salários e o sucateamento de serviços são administradas por ‘organizações sociais’, as chamadas O.S.. É o caso dos hospitais Ronaldo Gazola, Albert Schweitzer e Evandro Freire, além de oito UPAS (Madureira, Engenho de Dentro, Magalhães Bastos, Vila Kennedy, Costa Barros, Paciência, Sepetiba e Santa Cruz).

Segundo levantamento do Sindicato dos Médicos (Sinmed-RJ), demissões estão acontecendo nas clínicas da família Fazenda Botafogo (Acari), Carlos Cruz de Lima (Colégio) e CMS Clementino Fraga (Irajá).

Cortes e contingenciamento na saúde

Além de prever redução superior a R$ 700 milhões para o orçamento da saúde municipal em 2019, já neste ano o governo Crivella vem contingenciando os recursos do setor. Cerca de R$ 484 milhões já foram contingenciados em 2018, reduzindo ainda mais a capacidade de atendimento da rede municipal de saúde.

Segundo levantamento realizado pelo Ministério Público Estadual (MPE), os hospitais do município do Rio estão com 388 leitos de internação fechados, seja devido a obras, falta de insumos ou até mesmo camas. Ainda segundo o MPE, parte das emergências opera hoje acima do limite, como mostram os casos dos hospitais Souza Aguiar e Salgado Filho, entre outros.

“Não vamos descansar enquanto Crivella não investir recursos da saúde em saúde e enquanto o sucateamento não for revertido. Nossa mobilização vai se ampliar e a Prefeitura terá que nos receber, queira ou não queira”, completou Cintia.

Do movimento ‘Nenhum Serviço de Saúde a Menos’ participam, além do Sindsprev/RJ, entidades como Sindicato dos ACS do Rio, Sindicato dos Médicos (Sinmed-RJ), Sindicato dos Enfermeiros, Associação dos Musicoterapeutas, Associação de Médicos e Médicas de Família e CSP Conlutas. O Movimento 'Nenhum Serviço de Saúde a Menos' tem uma página no Facebook, com informações sobre as lutas dos servidores.


Sem salários e sem condições de trabalho: servidores exigem pagamento de atrasados - Foto: colaboração






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec