Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Saúde Municipal  

Crivella abandona saúde mas gasta milhões no réveillon de Copacabana

06/01/2020

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por Olyntho Contente

A Prefeitura do Rio de Janeiro gastou cerca de R$ 20 milhões na promoção da festa de passagem de ano em Copacabana. Segundo dados da Riotur e publicações no Diário Oficial do Município, foram R$ 18, 4 milhões em gastos com a organização direta do evento (palcos, cachê de artistas e despesas com aluguel de balsas e compra de fogos, entre outros não apenas na praia de Copacabana, mas também em outros oito pontos), além das despesas como limpeza das praias e salários de servidores mobilizados para a festa.

Os cerca de R$ 20 milhões foram gastos ao mesmo tempo em que os hospitas municipais enfrentam uma profunda crise causada pela política de Crivella de abandonar o setor, cortando recursos ano após ano, desde a sua posse. Na campanha eleitoral prometeu “cuidar das pessoas”. Os números, no entanto, mostram a hipocrisia do prefeito e seu descaso com os profissionais e com a população, principalmente os mais carentes.

Em 2019, o corte no orçamento da saúde municipal foi de R$ 400 milhões. Em 2018 foram menos R$ 367 milhões para o setor. Mas os cortes vêm ocorrendo desde 2017, quando a saúde perdeu R$ 547 milhões. Como consequência, além dos atrasados de salários dos profissionais, faltam todos os insumos básicos, como medicamentos, esparadrapo, fios de sutura, analgésicos, material para os mais variados exames, equipamentos estão quebrados e falta manutenção das instalações físicas das unidades.

Não é à toa que a gestão Crivella apresenta índice de 72% de desaprovação constatado pelo Datafolha. O levantamento mostra que o principal motivo é justamente o atendimento nos hospitais e clínicas do município. Nada menos que 68% citaram esse problema.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec